ZIRALDO - entrevista

Os alunos do Colégio São Mateus, Ana Julia Correa Borgo, Lucas Lazaro Tornai, Maria Laura Armiato de Souza e José Artur Sanches Filho, todos do 8º Ano do Ensino Fundamental realizaram um entrevista com o renomado cartunista, chargista, pintor, dramaturgo, caricaturista, escritor, cronista, desenhista, humorista e colunista Ziraldo. Ele esteve presente no SESC Catanduva e o evento, aberto a sociedade, contou com a presença de muitas pessoas, dentre as quais nossos alunos que conseguiram tempo para uma entrevista que segue:
 

Foto1
Foto3
Foto4
Foto2
Foto7
Foto8
Foto6
Foto5

CSM- O senhor se tornou advogado em 1957. O que o levou a escrever em um jornal e, posteriormente tornar-se escritor e cartunista infantil? 
ZIRALDO: Na época que me formei, havia poucas faculdades no Brasil, só havia direito, engenharia e medicina. Já que o meu pai queria que eu me formasse, não querendo ser médico nem engenheiro, fui ser advogado. Não queria exercer advocacia, mas sim, me tornar bacharel em direito. Porém, quando me formei já estava trabalhando no jornal, desenhando, e nem cheguei a exercer a profissão de advogado e continuei desenhando. E a minha vida foi essa: desenhar, escrever, desenhar, escrever até ficar velho. 

CSM- O senhor tem muitos personagens, entretanto o mais famoso é o Menino Maluquinho – que o senhor criou na década de 80. O que ele representa pra você? 
ZIRALDO: Gosto de todos os meus personagens como se fossem meus filhos, e por isso, não tenho nenhum preferido. Porém, o Menino Maluquinho foi o filho que mais me deu felicidade.

CSM- Atualmente como o senhor enxerga a literatura infantil brasileira? 
ZIRALDO: Muito boa. No Brasil temos um conjunto de escritores que fazem a melhor literatura infantil do mundo. Isso porque, é só no Brasil, que quem escreve para criança é considerado no meio literário como escritor. No Chile, por exemplo, que já é reconhecido internacionalmente na leitura com dois prêmios Nobel de literatura não considera escritor infantil. Eu conheci um escritor famoso de lá, chamado Skármeta, que chegou aqui no Brasil e falou: "Ué, engraçado vocês, autores pra crianças, são autores, escritores? No Chile não é assim não. Eu não conheço nenhum autor infantil no Chile...". 

CSM- O senhor foi preso durante a ditadura militar, como isso ocorreu e como foi essa experiência?
ZIRALDO: Nos prenderam várias vezes, mas escapamos (risos). Fomos julgados, mas era uma coisa só para poder atemorizar a todos, já que não fomos guerrilheiros, e não fomos para a luta armada. Esses que lutaram, porém, foram pegos, torturados e até mortos. Foi uma ditadura muito violenta. Ainda que, quando acabou a ditadura, o Brasil não condenou ninguém, e os torturadores estão por ai. Na Argentina, por exemplo, todos os torturadores foram presos. Mas no Brasil, apesar de ter essa corrupção, essa violência, a alma do brasileiro é amena, e por causa disso, vamos terminar esse século como a nação mais importante do mundo. 

CSM- O Menino Maluquinho era um menino feliz, o que representa a felicidade para você hoje? 
ZIRALDO: A felicidade pode ser definida com dois verbos: verbo "ter" e "ser". Se você tem tudo que te faz falta, e está sendo a pessoa que gosta, você vai ter tudo o que quer e isso que é felicidade. Então felicidade é você ter e ser aquilo que é, uma coisa tão simples isso de modo geral. Porém, cada um sabe o que lhe faz feliz.